Terapia para Casais e Famílias2019-02-19T21:10:48+00:00

Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) para Casais e Famílias

O que é?

Os princípios básicos da TCC para Casais e Famílias são os mesmos da TCC individual. A diferença é que as crenças, os comportamentos e as emoções em foco são aqueles que interferem na demanda terapêutica familiar e não individual per se. Além do trabalho tradicional nesses três componentes, procura-se melhorar a comunicação entre os membros da família (ou do casal), favorecendo e mantendo a assertividade e a cooperação. Princípios da Terapia Sistêmica influenciam essa modalidade de tratamento.

No tratamento de crianças e adolescentes, a terapia focada na família é efetiva em casos de dependência de substâncias, transtornos alimentares, déficit de atenção e hiperatividade, transtorno de conduta, transtornos psicóticos e afetivo bipolar. Para adultos, essa modalidade terapêutica é uma das mais efetivas no tratamento de transtornos psicóticos. Se aplicaria ainda em casos de transtorno obsessivo-compulsivo, anorexia nervosa, transtorno afetivo bipolar, transtorno depressivo maior e dependência de substâncias. A TCC para Casais e Famílias é ainda indicada para:

  • Conflitos conjugais;
  • Separação/Divórcio;
  • Outras demandas que prejudiquem a qualidade das relações.

Essa forma de psicoterapia é contraindicada nos seguintes casos: se algum dos membros está em surto psicótico ou tem algum transtorno neurocognitivo, se existe grande resistência ou preconceitos contra o tratamento ou se há algum transtorno mental não tratado e que não seja objeto da demanda terapêutica. Outras contraindicações podem ser apontadas após a sessão de avaliação inicial.

O que se deve esperar?

As sessões de TCC para Casais e Famílias, em geral, são um pouco mais longas que a TCC individual (cerca de uma hora e meia). As primeiras sessões são voltadas para a avaliação da demanda. Para isso, são realizadas sessões conjuntas e individuais. Quando o tratamento se inicia, uma vez determinados os objetivos, as sessões se dão em conjunto, a não ser que o terapeuta precise conversar em separado com um dos membros. A quantidade e a frequência de sessões dependem do objetivo terapêutico. Usualmente, trabalha-se primeiramente o estilo de comunicação entre os clientes (principalmente se existe alto grau de conflito), seguindo para as cognições distorcidas, regulação emocional e mudança de hábitos.